Arquivo do mês: agosto 2006

Noite sem Lua

O céu daqui parece uma imensa coleção de cristais cintilantes. Gostaria de ter uma câmera mais potente (sei lá se é “potente” que se diz) pra conseguir captar o desenho lindo delas no céu. Todas as estrelas aparecem aqui, as … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

42?!

Duas notícias sobre planetas nessa semana estranha: Plutão não é mais um dos nossos e Marte, nesse domingo, estaria tão próximo da Terra que ficaria do tamanho da Lua. Se eu fosse um pouco conspiratório pensaria que esses astrônomos são … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

Preciso me encontrar (Cartola) Deixe-me ir, precis…

Preciso me encontrar(Cartola)Deixe-me ir, preciso andarVou por aí a procurarRir pra não chorarQuero assistir ao sol nascerVer as águas dos rios correrOuvir os pássaros cantarEu quero nascer, quero viverDeixe-me ir preciso andarVou por aí a procurarRir pra não chorar É … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

considerações razoáveis

Quando eu me apaixono, imagino poder ser tão livre para o mundo quanto sou para mim mesmo. Especialmente quando estou apaixonado, uma coragem qualquer me invade num rompante e eu quero (imaginando poder fazer assim) dizer ao mundo tudo o … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

compromisso

Minden emberi lény szabadon születik és egyenlö méltósága és joga van. Az emberek, ésszel és lelkiismerettel bírván, egymással szemben testvéri szellemben kell hogy viseltessenek.(*) *tosse*Maldita gripe. Há um bom tempo ela não me pegava de jeito; ainda bem que não … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

Sei lá…

Todo mundo se sente um pouco escritor quando tem um blog e o leva minimamente a sério (o que constitui um erro grave, levar um blog a sério). Bom, sei lá se todo mundo – eu me sinto. Me preocupo … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

Líbano

Um protesto (singelo, mas verdadeiro) contra o genocídio que vem sendo praticado neste país por aqueles de quem menos se esperaria tal atitude irracional, criminosa e repulssiva. Foi injustificável 60 anos atrás; assim como permanece hoje.

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário