Arquivo do mês: junho 2005

Tempo, Arte e hipérboles.

Duas coisas me incomodam horrivelmente nesses tempos modernos. Duas verdadezinhas. A primeira: você tem que ser sempre feliz. A qualquer custo; em todos os lugares. Simpático e alegre. Não, é claro que não tem. Isso é uma estratégia malígna-fiadumaputa dos … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

auto-ajuda (rá. blergh!)

[“Sunrise” – Claude Monet (1873)] “Além de tudo, ela canta divinamente – e sorri”. Tudo o que? Pois é: tudo o quê. O problema, na verdade, são três problemas. 1º. Eu invento realidades que coincidem (surpreendentemente) com as minhas mais … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

Biscoitos de nata.

Coisas pra contar que sejam realmente relevantes eu não tenho, mas vou escrever para o caso de pessoas novas aparecerem por aqui. Minha avó, a dona Maria, sempre deixava alguns biscoitos prontos no alto do armário “pras visita”. Com ou … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

Dormir sorrindo

Algumas pessoas têm belezas tão arrebatadoras que me fazem ficar contente simplesmente aparecendo diante dos meus olhos. Nem é preciso conhecer a tal pessoa, basta admirar-lhe os traços. A sabedoria popular diz muito acertadamente que “a beleza está nos olhos … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

11°C = “criança feliz”

Caminhando do quarto até aqui com uma manta sobre os ombros, eu desisti de lembrar há quantos meses isso não acontecia. Frio lá fora. Adoro relembrar a cada ano os vários porquês de eu preferir essa época do ano (quando … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

So what?!

Mister Cellophane[do filme: Chicago] If someone stood up in a crowdAnd raised his voice up way out loudAnd waved his armAnd shook his legYou’d notice him If someone in a movie showYelled “fire in the second row,This whole place is … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

Num fôlego só:

De que me adianta, responda aí, um inverno que não esfria? Não vejo muito sentido pra ele… Inverno bom é daqueles que você pode fingir que fuma – mesmo quando já fuma (o que é uma idiotice, convenhamos). Fumar é … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário