Arquivo do mês: novembro 2007

ódio

(me chame de infantil. agora.) o que fizeram aos corinthianos hoje no Pacaembu aqueles moleques que ousam vestir a camisa do meu time, não se justifica nem se explica. eram 40mil pessoas num estádio em festa, esperando por um gol. … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | 2 Comentários

das sinceridades tolas*

Ouço samba desejando saber dançar. Celebro a vida nas pequenas coisas. Insisto na beleza da tristeza. Procuro belezas, tristezas, pequenezas… Se pareço triste, pode não ser mentira. Se pareço alegre, é por insistência. O que é esquisito me cativa. Esperar … Continuar lendo

Publicado em dos pequenos devaneios | 2 Comentários

bela tristeza

Costumam rir de quem sente saudade da Elis Regina. Alguns poucos riem… Gente que, sei lá, rouba velhinhas, chuta cachorro doente, inventa o Nazismo ou o Khmer Vermelho. Gente que não é bem gente. Sem coração, é impossível encontrar motivos … Continuar lendo

Publicado em dos pequenos devaneios, recomendações do tio | 2 Comentários

do recomeço

“(…) eu sou o que vocês são – não solta da minha mão. eu não vou mudar, não. eu vou ficar são, mesmo se for só; não vou ceder. deus vai dar aval, sim; o mal vai ter fim. e … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

sobre a paz.

e Hvarf e Heim. Um disco de regravações, com arranjos acústicos e um Jónsi explodindo nas horas certas; outro disco, com músicas inéditas, ao vivo, com aplausos de platéia e a energia fluindo pela cabeça, reverberante, desconcertante. O Sigur Rós … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | Deixe um comentário

Charlotte of my own

Porque o importante é ter contatos nessa vida. Quem mais tem a própria Scarlett Johanson no MSN?

Publicado em la comedie des jours | 1 Comentário

spreading

e no MSN: Olivia says: o problema da verbeat Olivia says: é que a gente é um bando de gente legal e inteligente e cheia de vida e alegria, com um ótimo gosto e tudo, mas não manjamos nada de … Continuar lendo

Publicado em la comedie des jours | 1 Comentário