inconveniente

tenho aqui um punhado de sozinho. um punhado disforme de sozinho, que se não houver protestos em contrário, e não haverá, colocarei sem muito jeito em cima da mesa.

não sei bem como esse tanto de sozinho chegou até mim. é bonito até — como que feito de uns cristais muito pequenos. a intenção normal de quem fala sobre o sozinho é a de mostrar como é estranho segurar isso, mas não é tão ruim. e no entanto: fico sem jeito segurando isso. devo parecer um daqueles turistas que se vê em praias muito quentes, insistindo em suas roupas fechadas e grossas; se o sol lhes queimar as peles, aposto, derretem. derretem, e o problema termina.  o sol segue queimando. pobres turistas.

o que faço com esse tantinho de sozinho?

Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em dos pequenos devaneios, la comedie des jours. Bookmark o link permanente.

3 respostas para inconveniente

  1. ah, mas óia!

    e um punhadinho de solitude é sempre reconfortante; mas, ih, é delicado né? se derreter sem que vc queira, deixa um desgosto na boca, não?

    faz o seguinte com esse tantinho: sempre que ele surgir, escreva um bonito texto. ou então, dá cá ele que eu cuido.

    : )

  2. Thiago disse:

    acho que vou seguir seu conselho, Negão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s