sobre um sonho

ela sorri enquanto escreve. seus lábios cheios e muito vermelhos acompanham o nascimento do texto — que surgiu num espasmo de tempo, num minuto em que a conversa excitou seus pensamentos.

não sei bem como as idéias se organizaram em sua cabeça antes de o papel estar repleto de todas elas; escritas lindamente. não a vejo, tampouco. imagino seu sorriso e as mãos inquietas traduzindo sentimentos. a respiração mais lenta, talvez os pés balançando nervosamente. a crueldade com seu texto: refazendo partes, apagando, retirando… julgando imprestáveis passagens impressionantes. burilando a si mesma, escrevendo esse resultado. obrigando a suspiros.

seu perfume doce me inunda. (das improbabilidades.) a suavidade de suas palavras é o que busco — sem saber. porque não sei. porque não soube, talvez.

atravesso paredes e a vejo sentada, arrumando os cabelos. desejo, por admirar. admiro por há muito ter desistido de procurar.

Anúncios
Esse post foi publicado em dos pequenos devaneios, la comedie des jours. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s