“e chega.”

não consigo pensar em outro fim pra esse ano. já não sei mais escrever retrospectivas como sempre fiz — ou talvez já não viva mais como sempre vivi.

dois-mil-e-sete não deixará saudades. ficará marcado por fatos tristes e tem que terminar com um post triste, durante tanto tempo adiado.

houve coisas boas — e elas compreenderão minha escolha por mantê-las guardadas, intactas na minha memória. e hão de me perdoar quando eu invariavelmente esquecê-las.

minha memória é meu carrasco mais cruel. mantém indefinidamente o que me maltrata e não me permite guardar por mais tempo o que me alivia. e mesmo sabendo disso, não vou escrever pra lembrar. vou esquecer esse ano.

que já vai tarde.

Anúncios
Esse post foi publicado em la comedie des jours. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s