sono

Musica com barulhinho de crianças e gatos ao fundo e um sono que não me deixa já há alguns dias. Na última noite dormi quase quatorze horas. E agora, poucas horas depois de acordado, sinto sono de novo.

CocoRosie é um negócio que quando a gente ouve, a cabeça explode. Não é pra qualquer um. Só pros iniciados. Até porque eu não tenho paciência pra “quanto barulho!”. (Mas recomendo: “The Sea Is Calm.”)

É assim: semanas em que não consigo pregar os olhos, semanas em que mal consigo abri-los. E se tem algo errado, não quero saber. Quero só a minha cama.

Meu quarto é meu pequeno paraíso. Não tem muita coisa. Nunca está quente demais, nem frio demais. A companhia do João, meu cão, ajuda com o ressonar constante da respiração de cachorro gordo que ele tem – e que eu devo ter, dono gordo. Pedreira contribui sendo um lugar que o Silêncio abraça todas as noites. Ouço, sem muito esforço, o ronco do vizinho, quatro casas distante. No começo era ruim (mas no começo, tudo era ruim), hoje, me sinto bem.

É engraçado abrir os olhos e imaginar ver quem não está ali. Ou talvez ver. (No começo também era ruim.)

O triste é um sentimento insistente de solidão que às vezes dá. Mas passa… Passa. É só virar de lado, ouvir o João e passa.

Passa?

Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em dos pequenos devaneios. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s