dados

  • o bichinho sobe a parede, voa, cai alguns centímetros e torna a subir tudo de novo. pra voar e cair e subir. tudo de novo. e agora está aqui, olhando, curioso, o gigante que escreve, apaga e torna a escrever. tudo de novo.
  • o menino escreve com a caneta carregada de nuvens. escreve e os escritos somem. não entende – quer repetir, mas já não lembra o que escreveu. inventa coisas novas. quando acaba a tinta, sopra dentro do tubinho e tudo bem.
  • o bandoleón pendurado nas costas é carregado por toda parte. que hoje não vai tocar para os turistas. são ruas que não vêem música há muito tempo. uma janela azul de uma casa amarela – segundo andar. lá em cima, a moça  está olhando pra baixo. uma luz logo atrás dela ofusca a visão e quem canta não consegue saber se ela sorri ou se faz caretas. no entanto, canta. e mentalmente pede desculpas pelo incômodo e agradece pelos aplausos (que não ouve) – concomitantemente.
Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em dos pequenos devaneios. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s