Noel, Maria; Rio

É inevitável: sempre que vou comer, preciso de pão. Alguns dizem que é costume de italianos, outros dizem que é a causa dos meus quilos a mais… Na verdade, faço isso porque aprendi com meu pai. Tem a impaciência e a mania de reagir a problemas com cara feia e recolhimento também, mas isso não importa. A gente cresce e absorve muita coisa que vem de fora – muita mesmo -, mas uma parte considerável daquilo que somos é resultado direto da influência da ação dos nossos pais em nossas vidas.

Considerando isso, não dá pra entender quem pega no pé da Maria Rita. Ora, mas claro que ela parece a Elis Regina; claro que ela tem uma voz parecida; claro que tem trejeitos parecidos – são mãe e filha, pelo amor de deus. As pessoas falam demais… Sempre têm uma opinião na ponta da língua. Dizem até que a moça usa essas semelhanças todas em favor de sua carreira. Ah, vá! Então você é filha da Elis Regina (uma das maiores cantoras de Brasil) e tem que ignorar isso quando decide se lançar numa carreira artística? Faça-me o favor…

Hoje vi Maria Rita de novo. A Rede Globo, mui gentilmente, convidou a moça e mais uma rapaziada muito boa pra um programa especial em homenagem ao Noel Rosa. Claro que um programa dessa qualidade e com essa beleza não poderia ser melhor alocado na grade de programação da emissora: salvo enganos, o Som Brasil começou por volta das duas da manhã – assim que terminou o Programa do Jô -; um horário nobre, acessível pra maioria das pessoas que levantou cedo nessa sexta-feira. Te contar, viu?

De qualquer forma, estavam lá além da Maria Rita, o Marcos Sacramento (identificado como o “novo malandro” da Lapa, disseram os redatores da Rede Globo), a ótima Orquestra Imperial (reunião de gente muito boa feito a Thalma de Freitas, o Rodrigo Amarante, o Pedro Sá  e tantos outros), e Lucas Santana & Seleção Natural. Uma bela trupe homenageando o sambista da Vila Isabel – que morreu com 27 anos, deixando pra gente um cancioneiro incrível, com mais de 300 composições, repleto de pequenas pérolas da música brasileira.

maria_rita.pngA Maria Rita estava linda. Na verdade, está lindíssima. Não sei o que acontece com as mulheres depois da gravidez, mas elas sempre saem mais belas. Me disseram que ali houve muita academia e regime… Só que mesmo aquelas que não têm toda essa chance, sempre saem da gravidez mais belas. Divago. Um vestido de tecido leve acima dos joelhos, os cabelos volumosos soltos (cor nova, mais claros) e, ok, mais magra – Maria Rita roubou a cena. Ao menos a cena vista por mim.

Ela chora ao interpretar as músicas do mesmo jeito que a Elis chorava. E tudo bem – porque é lindo; nelas não fica piegas, não soa falso.

Esse povo todo festejando Noel Rosa e o samba, e eu aqui – com Rio de Janeiro ainda correndo nas veias, sabendo o que quer dizer “noite na Lapa” -, não poderia haver melhor momento…

Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em la comedie des jours. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s