severinando

Vida pode ser cruel, má. Ingrata eu não diria, porque não lhe dei nada que pudesse resultar em contrapartida. Se de sonhos construo minha Vida é problema que me exaspera, mas resolver logo agora, quando ela me cerca, me encara cheia de dentes, não é o que sinto ter que fazer.

Olho pros lados, disfarçando, e tudo parece mais simples no lá – aqui, só[zinho]. Todos os nomes saíram, menos o meu. Por que é sempre o meu nome que não sai? (Nem nas listas, nem das bocas.)

“(…) você tem saúde, é bonito, está quase se formando (…)” Ok. E? Mães…

Falta de rumo; excesso de cansaço. Me perco em devaneios podiatersido. Descubro realidade porquenãofoi – dura e triste.

Temo não saber ser. Enfrento a luta interminável do querer-ser. Entristeço e a alegria alheia me machuca. Maldição – parece.

Hoje, só amanhã.

E a lágrima escorre, tornando mentira o meu “tá, tá tudo bem…”.

Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em la comedie des jours. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s