amando. feliz.

A impressão que eu tive, no meio de tantas outras, foi a de que um pequeno tremor percorreu todo o meu corpo e que esse abalo mexeu com as estruturas da enorme parede que ficava entre meus olhos e meus objetivos (de vida mesmo, aqueles). Ela começou a se despedaçar enquanto eu segurava na mão dela e dizia tudo.

E eu disse. Numa enxurrada sem muito nexo e rica em prolixidade, me repetindo infinitamente – principalmente a parte do “você é a mulher da minha vida”, que veio junto de alguns “eu te amo” ditos olho no olho… Mas ela ouviu como se eu declamasse Fernando Pessoa, como se lesse para ela uma página qualquer de Drummond, de Machado de Assis – como se fosse uma poesia ou algo assim, quero dizer. Sugou tudo, eu percebia as palavras entrando por seus poros e inundando a ela também, como já me inundavam há vários dias. E seus olhos marejaram, os meus também, eu derrubei o copo com coca que estava inadvertidamente próximo do meu braço (e em cima de uma toalha branca, que pareceu chorar a macha escura), ela riu, brincou com o garçon, dizendo que trazer os filhos pra passear dá nisso (como se ela fosse assim tão mais velha que eu)… Enfim, foi perfeito.

E agora ouso dizer (disse ontem, e ontem eu tinha absoluta razão) que não há ninguém nesse mundo mais feliz do que eu, ninguém mais rico do que eu, ninguém com uma paz de espírito maior que a minha – e que perdura! Eu fui dormir com medo de que fosse sonho bom, que acabasse quando eu acordasse, mas não!, ainda está aqui, eu ainda estou feliz, radiante, querendo mudanças, querendo seguir adiante.

Encontrei o grande amor da minha vida, a mulher que me faz imensamente feliz unicamente porque existe, porque é minha amiga, porque gosta de mim, e é dela meu sentimento mais bonito, mais verdadeiro, mais puro, mais singelo. Está com ela. (Eu disse tudo isso a ela – obviamente que não tudo tão certinho assim, com parênteses e vírgulas e travessões, mas disse.) Convenceram-me a ir e eu fui.

Não perca as oportunidades que a vida te dá. Nunca. Tenha amigos que se interessam por sua felicidade e te dão tapas na cara com luvas de pelica enormes. Cultive grandes amores – e deixe que eles saibam disso. Qual o problema em ser romântico? O sofrimento? Bom, ela me disse que antes o sofrimento de um amor não correpondido do que a apatia e a não-atitude. Sofrer é vivo, ao passo que nada é só isso: nada. Então sofrer não é um problema. Seja romântico. Faça loucuras.

Seja feliz. É difícil (palavra de um cara que passou boa parte da vida triste, vivendo numa redoma que todo mundo enxerga, mas que pouca gente ajuda a retirar), eu sei, mas tente…

Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em la comedie des jours. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s