vapores de alegria

Há no ar um cheiro de não-sei-quê que me induz a encarar a vida de um jeito mais leve, menos definitivo. Mesmo a dor de cabeça que me consome os miolos não é, nem de longe, tão impossível de suportar. E a suporto unicamente para que ainda por mais alguns minutos possa desfrutar cada segundo desses todos que me separam de domingo. Ainda não houve nenhuma desistência, nenhum compromisso inadiável de parte a parte, ainda não se desfez o sonho de, enfim, ter paz.

Porque estou indo até São Paulo buscar por isso. Parece difícil de entender – eu mesmo se estivesse me olhando de fora, provavelmente o faria com rabo d’olhos… No entanto, o que sinto, finalmente (e não me canso de repetir que, sim, sinto e, enfim, finalmente) é que vou ter um tantinho de paz, vou poder seguir adiante. E está lá, tudo lá, mergulhado no negro daqueles olhos tão profundos quanto é o meu amor por ela.

E eu vou, não duvide, vou. Fique feliz por mim. Porque eu estou, finalmente, feliz.

(:::)

O Pastor
[Madredeus]

Ai que ninguém volta
ao que já deixou
ninguém larga a grande roda
ninguém sabe onde é que andou

Ai que ninguém lembra
nem o que sonhou
(e) aquele menino canta
a cantiga do pastor

Ao largo
ainda arde
a barca
da fantasia
e o meu sonho acaba tarde
deixa a alma de vigia
Ao largo
ainda arde
a barca
da fantasia
e o meu sonho acaba tarde
acordar é que eu não queria.

Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em la comedie des jours. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s