Divagações flácidas para acalentar bovinos.

O problema das coisas é que, numa hora ou noutra, elas realmente se coisificam. Isso é coisa do Ortega Y Gasset, se não me engano. Mas posso muito bem estar enganado.

Quero dizer que as coisas, algumas delas, não todas – porque outras pulam partes -, em algum momento deixam de ser abstrações e passam a ter dia e hora, peso de coisa, prazo de coisa, responsabilidades de coisas… E isso pode ser um grande problema. Principalmente em se tratando de uma pessoa nada atenta a compromissos muito bem definidos e marcados e responsáveis e coisa e tal.

Aí você olha pra coisa ali na sua frente: grande, feia (de um lado, do outro é até simpática); escorre até uma gosminha meio marrom dela. Chuta, corre, apanha ou nem? Então, não se sabe de onde, surge aquela voz, sabe aquela?, que sempre aparece, então, essa, e diz: “tonto, olha direito e lembra: foi você quem trouxe, e porque quis!, ainda por cima”.

:::

Já percebeu quão grandioza é a sua capacidade de abstração? Tem de várias cores e tipos. Abstração matemática: 2. Que, diabos, é “2”? Dois. Sim, mas e daí? Aí você balança a mão ao lado da cabeça e diz: abstrai, abstrai… Abstração filosófica: Ideologia. De novo, a mão. Tem até, ora veja!, abstração geográfica: espaço. Pois é, quem diria? Grande Geografia. Espaço geográfico é um treco (pessoas me apedrejariam por tamanho pouco caso) que dá tanto pano pra manga que funde cucas e chuta bundas mundo à fora enquanto escrevo essas divagações.

Mas, voltando, é muito curioso pensar que antes que você desenvolvesse essa capacidade de abstrair, de pensar abstrações, se alguém te dissesse que no centro da Terra tem uma gigantesca bola de ferro fundido, você soltaria um retumbante e brochante muxoxo.

:::

– Já não gosto mais do nome desse blog.

– Se eu ainda acreditasse em Deus (não sejam assim, crianças) e se algum tipo de fé aquecesse o meu coraçãozinho gelado e solitário, eu teria a pachorra de chamá-lo muito carinhosa e intimamente de “Seu Zé”. Pode, né? Pode… claro que pode.

Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em la comedie des jours. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s