Final

Num prédio em chamas uma menininha brincava no chão de seu apartamento tingido de vermelho e dourado com o vestido novo que sua mãe havia lhe comprado, mas que nunca chegaria a usar “na primeira festa”. No quarto andar, um homem que passara a vida toda colecionando selos, envelopes antigos, cartas alheias (ele as roubava na caixa de correio em frente ao prédio), queimava tudo – jogando uma coisa de cada vez pra dentro do fosso do elevador que ardia implacavelmente – preferia não pensar em como as chamas subiam rapidamente, lambendo as paredes

O quinto andar era todo de uma velha senhora que morava com sua velha empregada. Formavam um casal diferente, pouco aceito, muito feliz, mas estavam brigadas. A senhora dona do apartamento estava na janela, quase desmaiando com a fumaça que entrava pelas frestas do cômodo – o fogo ainda não chegara até lá, mas era uma questão de segundos até todo o gás explodir – e desejava ardentemente que a empregada viesse fazer-lhe companhia. Iria mostrar-lhe como fica bonita a noite nos prédios que queimam à luz da Lua. Olhava para baixo e podia enxergar as lufadas de vento levantando as chamas, os quatro carros de bombeiros que tentavam a todo custo controlar as chamas a tempo, os espectadores parados no meio-fio atrapalhando o trânsito (e quem passaria numa rua onde arde um prédio de apartamentos cheio de moradores fadados à morte?).

Miguel, o comandante dos bombeiros, ergueu a vista pela última vez apenas para ver todo o prédio como uma enorme fogueira. Viu o quinto e o sexto andar explodirem em fogo, uma mulher ser atirada para longe; ouviu gritos, súplicas e risos. O impacto daquela visão foi tamanho que no dia seguinte, com um sentimento de profunda vergonha e humilhação, afastou-se da corporação.

A menina salvou-se. Foram achadas quatro pastas cheias de selos semi-queimadas. A empregada foi encontrada naquilo que devia ter sido o batente da porta de um quarto – de onde Miguel viu a mulher ser jogada longe pelo ar…

Anúncios

Sobre thiago gonçalves

se tanto.
Esse post foi publicado em dos pequenos devaneios. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s